top of page

BDM Morning Call - 30/09/22

Na véspera da eleição, exterior ainda deve pesar

... É bastante relevante a agenda dos mercados lá fora, que pode continuar pesando para os ativos domésticos, juntamente com uma dose expressiva de cautela no último pregão antes das eleições deste domingo. Com os investidores na defensiva diante da onda de juros elevados e perspectivas de recessão global, será divulgada hoje a inflação na zona do euro (CPI) e nos Estados Unidos (PCE). NY ainda terá dados da atividade do ISM e mais falas de Fed boys, que não têm poupado duros recados. No Brasil, além do cenário externo difícil, a disputa presidencial chega no dia D mantendo um elevado nível de incertezas sobre o que será um eventual governo Lula, que, segundo o Datafolha, tem chances de fechar a eleição no 1o turno, com 50% dos votos válidos.

... Na pesquisa divulgada após o fechamento, o candidato do PT abriu 14 pontos contra Bolsonaro, com 48% a 34%. ... Excluídos brancos e nulos, não há condições de cravar uma vitória de Lula já no próximo domingo, mas as chances de ocorrer são reais. Considerando a margem de erro de dois pontos, ele tem entre 48% e 52% dos votos válidos. ... Os institutos não farão pesquisa boca de urna no domingo e o resultado oficial do TSE só será conhecido no final da noite. ... Com 52% de rejeição, Bolsonaro enfrenta um desafio muito grande para virar o jogo, mesmo garantindo o segundo turno, quando Lula ganharia com 54% contra 39%. Já o debate da TV Globo não parece ter sido decisivo como se esperava. ... Um debate com a participação do “padre” Kelmon, como se viu, não pode dar coisa séria. Rendeu foi muitos memes nas redes sociais, com as tiradas certeiras da candidata Soraya Thronique, que o carimbou de “padre de festa junina”. ... O “padre”, que não é padre, foi escada de Bolsonaro e da própria Soraya, até que o presidente a desestabilizou com acusações de pedidos de cargos quando era sua aliada. Simone Tebet mais uma vez mostrou que se sai muito em debates. ... Já Bolsonaro começou muito agressivo e mudou radicalmente depois do primeiro bloco, que marcou uma sucessão de pedidos de direito de resposta de Lula. O candidato do PT teve bom desempenho, mas perdeu a paciência justo com o Padre. ... No final das contas, não houve um grande tropeço nem uma grande sacada. Não houve ganhador, nem perdedor, e o horário avançado não permite acreditar que tenha muita influência sobre a decisão dos últimos votos. ... A grande expectativa que se formou em cima do debate da TV Globo não se confirmou. ... Quanto ao mercado, por mais que haja muitas dúvidas sobre um eventual governo de Lula, em especial sobre a política fiscal e as estatais, “boa parte já entende que Lula é quem será eleito”, disse André Perfeito, da Necton Investimentos, ao Broadcast. ... Até por isso, há o sentimento de que um segundo turno apenas estenderia as incertezas por mais quatro semanas. ... Existe ainda o receio de uma contestação dos resultados pelos apoiadores de Bolsonaro, se as urnas indicarem uma diferença muito grande para Lula, e o risco de violência nas ruas, o que seria péssimo para a imagem institucional do País. ... Em função dos seguidos questionamentos ao processo eleitoral, o mundo estará de olho no Brasil neste fim de semana. ... Os sinais de que Bolsonaro pode estimular reações se acentuaram nos últimos dias, com novas acusações de fraudes e fortes ataques ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, que voltou a ser alvo diário em suas lives. ... Nesta 5aF à noite, em transmissão nas redes sociais, o presidente xingou o ministro de “moleque”, “patife” e “cara de pau”, dizendo que ele abusa do poder para tripudiar em cima das pessoas. “Seja homem, Alexandre, uma vez na vida”. ... Em Brasília, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, decidiu cercar o prédio com barreiras para evitar invasões e proibiu a posse de armas no dia da eleição, na véspera e na 2aF, garantindo que as eleições serão “seguras, limpas e transparentes”. A APOSTA DA PANTHEON – A consultoria americana espera que os ativos brasileiros performem bem, caso Lula saia vitorioso já neste domingo, prevendo a recuperação das ações, performance “decente” do real e recuo dos juros prefixados. ... A Pantheon, no entanto, acredita que a disputa irá ao segundo turno, mas sem chances de Bolsonaro ganhar a eleição. ... Uma vitória “esmagadora” de Lula seria vista sob dois ângulos: 1) com alívio, porque inibirá uma contestação dos resultados, nos moldes de Trump, 2) com preocupação, porque poderia servir de cheque em branco para as políticas de esquerda. ... Já se Lula (PT) vencer com uma pequena margem, o aumento dos ruídos políticos pode prejudicar os mercados financeiros, diz a consultoria, fazendo um alerta: “o risco de Bolsonaro não sair tranquilamente da presidência é real”. O RECEIO DA MOODY'S – Em relatório ontem, afirmou que as eleições provavelmente afetarão a trajetória fiscal e econômica do País, tendo em vista as diferenças significativas no compromisso dos principais candidatos com as reformas estruturais. ... “A Moody's espera que o próximo governo enfrentará impasses de natureza política, taxas de crescimento persistentemente baixas e uma política monetária contracionista que continua a pressionar a capacidade de pagamento de dívida do Brasil.” ... A agência acredita que o ímpeto das reformas diminuirá e prevê que os riscos de reversão nas políticas públicas aumentarão e que o compromisso com uma âncora fiscal confiável será um fator fundamental que influenciará as expectativas. AGENDA – Um dia depois de o mercado ter ficado com a impressão de que o BC chancela o início do corte da Selic em junho, Campos Neto palestra sobre "O Futuro do Sistema Financeiro", no evento "DrumWave Day", em SP, às 10h. ... Ao meio-dia, a diretora do BC Fernanda Guardado (Assuntos Internacionais) fala em fórum do HSBC. ... Entre os indicadores, o protagonismo dos serviços na reação da atividade deve novamente reduzir o desemprego da Pnad (9h), para 8,9% no trimestre móvel encerrado em agosto, de 9,1% no período até julho, em pesquisa Broadcast. ... Às 9h30, saem os dados consolidados do setor público. Diante do rombo maior que o esperado no Governo Central, a mediana do mercado indica déficit primário de R$ 27,30 bi em agosto, após saldo positivo de R$ 20,440 bi em julho. LÁ FORA – O PCE de agosto nos EUA (9h30) divide as atenções com a leitura preliminar de setembro da inflação ao consumidor (CPI) na zona do euro (6h), neste momento em que o Fed e o BCE priorizam a luta contra os preços. ... Ainda nos EUA, saem hoje os dados de setembro do PMI/ISM de Chicago (10h45) e do sentimento do consumidor, medido pela Universidade de Michigan (11h). A Baker Hughes divulga às 14h os poços de petróleo em operação. ... A vice-presidente do Fed, Lael Brainard (10h), além de Thomas Barkin (9h30) e Michelle Bowman (12h) falam hoje. RÚSSIA – Putin anuncia hoje a maior anexação de territórios na Europa desde a II Guerra. Quatro províncias do leste da Ucrânia (Donetsk, Luhansk, Zaporizhzia e Kherson), que representam 15% do território do país, serão anexadas. ... A canetada de Putin se dá após referendos, que, no entanto, foram contestados e estão sob suspeita de fraudes. ... O objetivo do Kremlin com a ofensiva, dizem analistas, é tentar dissuadir os ucranianos de prosseguirem com sua contraofensiva no leste e no sul do país, que já levou à reconquista de parte dos territórios ocupados pela Rússia. CHINA HOJE – O PMI industrial medido pelo setor privado (Caixin/S&P Global) caiu de 49,5 em agosto para 48,1 em setembro, contrariando a estimativa oficial, que apontou avanço do indicador para 50,1, acima da previsão de 49,8. EXTERIOR PESA – A tensão eleitoral coincide com o mau momento dos mercados lá fora, que interromperam breve trégua da véspera, partindo para mais um dia de perdas. O nervosismo com a inflação, o choque de juros e a recessão é grande. ... Os negócios já amanheceram com a notícia de que o CPI na Alemanha bateu em 10% em setembro (anualizado), acelerando forte sobre agosto (7,9%) e acima das previsões (9,5%). Na margem, subiu 1,9%, também superando a estimativa (1,5%). ... Diversos dirigentes do BCE adotaram postura hawkish em face da inflação recorde na Europa, a maioria pedindo um novo aumento de 75 pontos-base do juro na zona do euro. Em paralelo, o Reino Unido continua gerando muita preocupação. ... A primeira-ministra britânica, Liz Truss, piorou o humor, ao defender o pacote fiscal, criticado como uma “barbeiragem”. ... Convencida de que o amplo corte de impostos proposto ajudará a controlar a inflação, impulsionar o crescimento e colocar a economia em “trajetória melhor no longo prazo”, disse que seu governo está disposto a “tomar decisões difíceis”. ... Liz Truss convocou reunião de emergência para hoje com o diretor do Escritório de Responsabilidade Orçamentária, Richard Hughes, com o objetivo de acalmar o mercado e conter as críticas ao seu plano econômico radical. ... Para o FMI, os planos de Truss podem “minar” o aperto monetário do BoE, que se viu obrigado a novas compras emergenciais de títulos do governo britânico (Gilts) para apoiar os ativos locais e, especialmente, socorrer a libra esterlina. ... O economista-chefe do BoE, Huw Pill, afirmou que a flexibilização fiscal levará a uma resposta de política monetária "significativa". Com o pico mais alto esperado para o juro britânico, o yield do Gilt de 10 anos chegou a superar 4,2%. ... A libra esterlina (+1,73%) foi impulsionada para US$ 1,1079. O euro (+0,68%, a US$ 0,9801) também subiu, apesar das perspectivas de recessão para a Europa, no ambiente agravado pela crise energética da guerra da Ucrânia. ... Diante da recuperação das moedas europeias, o índice DXY (que mede a força do dólar) registrou queda de 0,31%, a 112,254 pontos, apesar da pressão no dado de inflação mais importante dos EUA e das falas duras dos Fed boys. VIÉS HAWKISH - Apesar da queda de 0,6% do PIB/2Tri americano, investidores deslocaram o foco ao PCE do trimestre, que veio acima do anterior (7,1%) na revisão final, com taxa anualizada de 7,3%. Além disso, Bullard voltou à carga. ... O mais notório falcão entre os Fed boys repetiu que é um bom momento para agir e controlar a inflação, já que o mercado de trabalho está forte. Para ele, o Fed precisará manter os juros elevados por mais tempo que o imaginado anteriormente. ... Ainda Loretta Mester (Fed/Cleveland) disse que o juro, hoje na faixa entre 3% e 3,25%, ainda não atingiu o patamar restritivo, que está “acima de 4%”. Na opinião dela, não há, por enquanto, efeito importante das altas dos juros. ... No final da tarde, Mary Daly (Fed/San Francisco) foi na mesma linha, afirmando que “temos elevado o juro rapidamente neste ano e mais altas serão necessárias, inclusive no próximo ano”. Para ela, é preciso que a inflação dê sinais de queda. ... Foi mais além na mensagem dura, afirmando que “não temos escolha a não ser desacelerar de modo dramático a economia americana”. Admitiu, ainda, que “evitar uma recessão severa não será fácil, mas vamos tentar”. ... Seguindo o pessimismo com o movimento global de aperto dos juros, aqui, no Brasil, o Bradesco elevou sua projeção para a taxa terminal dos Fed Funds nos Estados Unidos de um intervalo entre 4% e 4,25% para a faixa de 4,75% a 5%. ... No fechamento, o retorno da Note de 2 anos subiu a 4,188%, de 4,106%, e o de 10 anos foi a 3,769%, de 3,711%. ... O aperto monetário mais duro no horizonte espalhou cautela para as bolsas em NY. O índice Dow Jones caiu 1,54%, aos 29.225,61 pontos, o S&P500 recuou 2,11%, aos 3.640,47 pontos, e o Nasdaq perdeu 2,84%, aos 10.737,51 pontos. #TAMOJUNTO – Foi recebido com certa surpresa pelo mercado o comentário de Campos Neto nesta 5aF de que, "usando a curva do Focus com corte (da Selic) em junho, mostramos que a gente atinge nossos objetivos (inflação)". ... A indicação de que o BC está confortável com a primeira queda do juro em junho, como a maioria dos analistas do boletim Focus, mostra um alinhamento entre os dois lados, que até então pareciam estar numa disputa particular. ... O tom mais duro identificado pelos profissionais de mercado no comunicado e na ata do Copom havia deixado a impressão de que o BC tentava deslocar para o segundo semestre de 2023 o início do ciclo de desaperto da taxa. ... Por isso, a mensagem de RCN impressionou, de certa maneira, apesar do alerta de que é “muito cedo para pensar em corte de juros” e de ele ter evitado dizer quão "suficientemente prolongada" deve ser a manutenção da Selic. ... Nem todo mundo comprou o timing sinalizado por Campos Neto na coletiva para comentar o RTI. O Itaú não mudou a aposta de que a Selic só comece a cair em agosto. O Goldman Sachs considera improvável um corte antes do 2TRI. ... Segundo o banco, a tendência é que o Copom aguarde até o 2TRI ou 3TRI para iniciar os cortes e, mesmo após começar a relaxar, a tendência é segurar o juro em território restritivo (acima da taxa neutra) até o fim de 2025. ... O BC já fez o hedge, com o alerta de que pode voltar a subir o juro, se a inflação não perder ritmo como o esperado. Mas o consenso entre economistas ouvidos pelo Broadcast é que o ciclo de aperto chegou ao fim, com Selic a 13,75%. ... Campos Neto fez referência ontem ao aumento da inadimplência, já como efeito da política monetária, na menção que foi interpretada como mais uma pista de que o próximo passo para a taxa básica de juro pode ser de queda. ... Assim, a curva do DI parou de subir, para assumir leve viés de baixa à tarde, na contramão da alta do dólar e dos yields dos Treasuries em NY. A tensão eleitoral e a pressão externa acabaram ficando em stand-by pelos juros futuros. ... Após os ajustes, o DI jan/23 fechou estável em 13,695% (de 13,686% na véspera); jan/24 caiu a 12,865% (12,893%); jan/25, 11,720% (de 11,737%); jan/27, 11,675% (11,713%); jan/29, 11,850% (11,909%); e jan/31, 11,950% (11,999%). ... No RTI, o BC atualizou a sua projeção para o crescimento do PIB deste ano de 1,7% para 2,7% e publicou pela primeira vez a estimativa para o ano que vem, de expansão de 1,0%, o dobro do que o mercado espera na Focus. ... No câmbio, o exterior tenso, a cautela das eleições e a pressão dos comprados na briga da ptax levaram o dólar a encostar em R$ 5,40, fechando a R$ 5,3955 (+0,86%). Chega ao último pregão do mês com alta acumulada de 3,73%. ... No câmbio futuro, o contrato do dólar para outubro fechou ontem em alta de 0,47%, valendo R$ 5,3985. MENOS PIOR – NY não poupou o Ibovespa de cair, mas a queda aqui foi menos acentuada do que lá fora, apesar do foco nas eleições. O índice à vista desceu até a faixa dos 106 mil pontos na mínima (106.243,52), mas testou reação. ... Desacelerou as perdas, para limitar a baixa no fechamento a 0,73%, aos 107.664,35 pontos, com giro de R$ 28,4 bi. ... Em grande parte, os papéis ligados ao sistema financeiro salvaram a bolsa doméstica de um desempenho tão ruim quanto o de NY. Itaú subiu 1,49%, a R$ 27,93; Bradesco ON, +1,06%, a R$ 16,26; e Bradesco PN, +0,76%, a R$ 19,78. ... Santander unit fechou estável (+0,03%) e BB (ON, -0,54%) exibiu desconforto à defesa de Bolsonaro esta semana, em live, de que a maioria das estatais fica melhor na mão da iniciativa privada, com exceção dos bancos públicos. ... Entre as blue chips das commodities, Petrobras (PN, +0,14%, a R$ 29,31; e ON, +0,09%, a R$ 32,67) e Vale (ON, +0,13%, a R$ 68,43) pararam de cair na reta final do pregão, ainda que não tenham ostentado maior fôlego. ... Mas foi importante a Petrobras ter conseguido se descolar do petróleo, que segue abaixo de US$ 90. ... Os renovados temores de desaceleração global, diante do aperto monetário necessário para levar a inflação das principais economias às suas respectivas metas, derrubaram o barril do Brent para novembro (-0,99%) a US$ 87,18. ... A commodity deixou em segundo plano ontem o dólar fraco e as informações de bastidores na Reuters de que a Opep considera promover um corte na produção em sua reunião da semana que vem, marcada para 4aF. EM TEMPO... Às vésperas das eleições, o Cade informou que a venda de refinarias pode ser revista se o controlador da PETROBRAS (União) quiser fazer alterações... ... Isso poderia ocorrer no caso da vitória de Lula, que já manifestou interesse em rever desinvestimentos da estatal. VALE. Conselho aprovou reorganização das operações de metais básicos no Brasil; ativos de cobre serão transferidos para a Salobo Metais; ativos de níquel serão transferidos para nova empresa a ser criada no Brasil... ... Mineradora informou que eliminou mais três barragens a montante em Minas Gerais neste mês, atingindo a meta de descaracterizar cinco dessas estruturas em 2022. EMBRAER comunicou que controlada Eve Holding deve refazer suas demonstrações financeiras relativas ao 2TRI... ... Segundo a companhia, os novos números devem indicar aumento de despesas não-caixa de aproximadamente US$ 87 milhões, além de aumento de capital no mesmo valor... ... De acordo com a empresa, a republicação foi determinada pelo Comitê de Auditoria da Eve, após revisões internas e discussões com um auditor independente, pois a contabilização de bônus de subscrição deveria ser ajustada... ... BlackRock elevou participação acionária na companhia de 4,964% para 5,050%, passando a deter 37.397.343 de papéis ON. ALIANSCE SONAE concluiu venda da participação no Uberlândia Shopping e, desta forma, alienação foi concluída; transação foi anunciada em 21 de julho por R$ 195 milhões, o que significou um cap rate de 8,2%. TRACK & FIELD vai pagar R$ 8,650 milhões em JCP, o equivalente a R$ 0,0055 por ação ON e R$ 0,0553 por ação PN, no dia 30/3/23; ex em 6/10. AREZZO comunicou que nenhum acionista exerceu direito de retirada da incorporação de ações da Sunset, cujo prazo se encerrou ontem. LOCALIZA. Localiza Fleet, subsidiária da companhia, aprovou 11a emissão de debêntures no valor de R$ 1 bilhão. FLEURY. Fleury Centro de Procedimentos Médicos Avançados (CPMA), subsidiária da companhia, adquiriu 100% do capital social da Clínica Oftalmológica São Lucas, em SP; valor da transação não foi divulgado. EDP. Porto do Pecém Geração de Energia, subsidiária da empresa, realizou 1a emissão de notas comerciais escriturais, no valor de R$ 1,5 bilhão. MILLS comunicou que foi informada sobre a cisão entre Axxon Group e Fundo de Investimento em Participações Brazil Capital Growth Partners II (Fundo II)... ... Com isso, as ações da companhia detidas pelo Fundo II passaram a ser detidas, em sua totalidade, pela Glamis Fundo de Investimento em Participação Multiestratégia (Fundo Glamis).

Rosa Riscala e Mariana Ciscato

BDM Morning Call, [29/09/2022]

AVISO – Bom Dia Mercado, produzido pela Mídia Briefing, não pode ser copiado e/ou redistribuído.

© 2022 Midia Briefing

bottom of page