top of page

[FREE] Payroll – Menos postos de trabalho, mas mais salários

*Avenue Now: Payroll – Menos postos de trabalho, mas mais salários*


Expectativa x realidade:

Criação de 200 mil postos / foram criados 187 mil postos não agrícolas

Tx de desemprego em 3.6% / taxa ficou em 3.5%

Ganho médio por hora 0.3% MoM e 4.2% YoY / crescimento dos salários foi de 0.4% MoM e 4.4% YoY.


Impacto:

  • Curvas de juros de longo e médio prazo cederam, mas vértices mais curtos seguiram em alta.

  • Bolsa operando com volatilidade. Futuros chegaram a operar no negativo, mas se mantiveram levemente positivos por ora.

  • VIX e dólar cedem; já o ouro se valoriza.




Leitura e abertura

Interpretação não tão clara. Se por um lado, a criação de postos de trabalho ficou aquém do esperado e tivemos revisão dos dados dos meses anteriores mostrando que a política monetária em curso talvez esteja surtindo efeito para conter força da economia e aumentos de preços; por outro lado a taxa de desemprego menor que o esperado e especialmente os salários mais altos indicam o contrário. Salários seguem crescendo sem sinal de desaceleração como mostra o gráfico abaixo. Ora se isso é verdade, o trabalhador continua tendo ganhos reais de renda (versus inflação pelo PCE), e consequentemente tende a manter consumo aquecido; isso acontecendo, temos um cenário mais complexo para redução de inflação e consequentemente possível redução de juros, reforçando a ideia do “higher for longer”.




Ponto importante a destacar foi a revisão de postos de trabalho nos meses anteriores. A variação no emprego total da folha de pagamento não agrícola para maio foi revisada para baixo em 25.000, de +306.000 para +281.000, e a variação de junho foi revisada para baixo em 24.000, de +209.000 para +185.000. Após essas revisões, o emprego combinado em maio e junho é 49.000 menor do que o relatado anteriormente.


William Castro Alves

Estrategista-chefe da Avenue Securities

bottom of page